12 de dez de 2015

Vírus Zika


Neste ano de 2015 o Brasil sofreu com um grande aumento de casos do vírus Zika. Um vírus que poucos sabiam sobre, pois não haviam notificações de infecções do Zika na população brasileira.

Ao longo da História, muitas doenças foram introduzidas na América, grande parte devido ao próprio descobrimento da América, que trouxe doenças oriundas da Europa e também do tráfico de escravos entre África e a América, que também colocou novas doenças em território americano.
Dessa maneira,  varíola, sarampo, tuberculose e muitas outras doenças de transmissão direta (ou contagiosas) foram introduzidas nas colônias americanas.
A febre amarela foi trazida com a escravidão e, com ela, chegou o Aedes aegypti, principal transmissor do vírus da febre amarela e personagem principal deste artigo.

vírus Chikungunya
Devido à um mundo globalizado, em que viagens entre países são muito fáceis e rápidas, novos vírus entram e saem de continentes e países. Recentemente, o Brasil ganhou mai dois novos inimigos, o vírus Chikungunya, introduzido em julho/agosto de 2014, após ter entrado no Caribe em dezembro de 2013 e, anteriormente, ter causado grandes epidemias na África e Ásia desde 2004, e o vírus Zika, que provavelmente chegou ao Brasil na época da Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

O vírus Zika é um flavivírus de RNA de fita simples de sentido positivo, ou seja, seu material genético é lido diretamente pela célula hospedeira, gerando novos vírus (o vírus zika é citado na comunidade científica como ZIKV) transmitido pelo mesmo mosquito que transmite o vírus da Dengue e Chikungunya, o Aedes aegypti. O Zika infectava originalmente apenas macacos na Floresta Zika (daí o nome do vírus), localizada em Uganda, na África.

vírus da Dengue
O vírus da dengue e Zika estão relacionados, já que são transmitidos pelo mesmo mosquito, possuem
sintomas parecidos, e possuem o mesmo ciclo de doença (o mosquito pica uma pessoa que possui o vírus, o vírus se multiplica dentro do mosquito e em seus ovos, e por fim, pica uma pessoa saudável, transmitindo a doença.)

Acompanhando as últimas notícias, você já deve ter percebido que existe casos de microcefalia que coincidem com os casos de Zika. E o que assusta nestas notícias é que pode não ser apenas coincidência e sim uma verdadeira relação entre o Zika e a microcefalia. Não se sabe ainda se esta relação realmente existe, mas se for confirmada, será um problema gigante. Além da microcefalia, quadros mais severos, que incluem o comprometimento do sistema nervoso central (síndrome de Guillain-Barré, mielite transversa e meningite), estão sendo associados ao vírus Zika, evidenciando o desconhecimento que temos sobre essa doença.

Como foi esclarecido, o vírus Zika é extremamente perigoso, e portanto é precisamos nos proteger de todas as formas, não deixando acumular água parada para o mosquito não se proliferar, usando repelente frequentemente e usando roupas compridas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário