6 de out de 2015

Japonês e canadense ganham Nobel de Física por estudos sobre neutrinos


O japonês Takaaki Kajita e o canadense Arthur B. McDonald ganharam o Prêmio Nobel de Física de 2015 por suas pesquisas sobre as oscilações dos neutrinos que demonstram que essas partículas têm massa, anunciou nesta terça-feira a Real Academia das Ciências da Suécia.

Os estudos desenvolvidos pela dupla, segundo explicou o júri do Comitê do Nobel ao apresentar a escolha, "mudaram nosso conhecimento do comportamento mais íntimo da matéria e podem ser cruciais para entender o universo".

"Suas contribuições-chave demostraram que os neutrinos mudam sua identidade, o que exige que essas partículas tenham massa", indicou a Real Academia das Ciências da Suécia.

Com a mudança de século, Kajita descobriu que os neutrinos da atmosfera passavam de uma identidade para outra em seu caminho rumo ao detector Super-Kamiokande, o observatório de partículas japonês.

Enquanto isso, um grupo de pesquisadores canadenses liderado por McDonald demostrou que os neutrinos produzidos pelo Sol não desapareciam em seu caminho em direção à Terra, podendo ser captados com uma identidade diferente ao chegarem ao Observatório de Neutrinos de Sudbury, localizado em Ontário.

Kajita nasceu em 1959 na cidade de Higashimatsuyama, no Japão, se se formou em 1986 na Universidade de Tóquio, onde atua como professor e dirige o Instituto de Pesquisa de Raios Cósmicos.

McDonald, nascido em 1943 em Sydney, no Canadá, se graduou em 1969 no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), em Pasadena (EUA), e é professor emérito na Universidade Queen's de Kingtson, também no Canadá.

Os dois vencedores repartirão o prêmio de 8 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 1 milhão).

Ontem, o irlandês William Campbell, o japonês Satoshi Omura e a chinesa Youyou Tu venceram o Nobel de Medicina por estabelecerem os fundamentos para o desenvolvimento de tratamentos que transformaram a cura de doenças causadas por parasitas.

Em 2014, o Nobel de Física foi concedido a três cientistas japoneses que inventaram o diodo emissor de luz azul (LED).

Fonte: Agência EFE

Nenhum comentário:

Postar um comentário